quarta-feira, novembro 14, 2007

Carne de Segunda

Um almoço feito à "Família do Barulho". Muita cerveja, farofa, batata, arroz e frango. Vou aprendendo a somar e a esquecer. Agora o que realmente importa é a capacidade de esperar o que acontece com frequência, fim sem finalidade. Tenho saudade daqui, do agora, mas o final do ano me oprime com seus prazos e tranformações radicais na vida.

Logo irão aparecer por aí as árvores de Natal e ainda não dei adeus ao peso desses dez meses que já passaram. Fica tudo igual a reprodução da bandeira turca na ponta do all star, reprodução de sonho. SENHA. sonho mesmo, vai saber. EU quis tanto sonhar e não percebi que nunca existiu escolha, nem sorte, nem possibilidade. Você queria sua vida e pronto.

Não faz sentido um mundo caótico dentro do seu sonho de "estrelinhas da (a)manhã"

Fica aí com a sua Geografia do Mundo, que eu sigo a minha briga de mestiço. Sem força, sem arma, sem faca. Segredinho de quem não tem cara pra tomar na cara. Assim apertemos as mãos e vida pra frente.

Sofázinho cor-de-rosa pra você e porra nas tuas costas.